O autismo em cães está se tornando uma coisa?

publicado por Eu amo veterinário

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Estamos todos cientes da tendência atual de não vacinar crianças porque as pessoas têm medo de que as vacinas sejam perigosas e possam causar danos e, consequentemente, autismo. Tudo começou em 1998, quando um estudo muito pequeno de 12 crianças tentou vincular a vacina MMR com a ocorrência de colite e sintomas semelhantes ao autismo em crianças. Desde 1998, este estudo foi desmascarado várias vezes por muitos estudos que não mostraram absolutamente nenhuma ligação entre a vacina e o autismo. O estudo original foi totalmente retirado em 2010 e o líder do estudo, e mais tarde do movimento anti-vacina, Andrew Wakefield perdeu sua licença médica.

Bem, depois que a mídia se assustou com as vacinas, hoje em dia com todas as vacinas, não apenas a vacina MMR, a histeria se espalhou para os animais domésticos. Sem qualquer estudo de pesquisa, amantes de animais e donos de animais decidiram unir forças nos fóruns da internet e iniciar um movimento anti-vaxxer animal que se tornou global.
Os veterinários ficam perplexos todos os dias quando um novo dono de animal de estimação chega à clínica exigindo que seu cão não seja vacinado porque lêem online que a vacina (não pode) causar autismo. Essas especulações chegam a ponto de que a vacina antirrábica causa desconforto estomacal câncer em cães.
As vacinas em cães são essenciais para construir o sistema imunológico e fornecer uma forte barreira contra alguns dos vírus caninos mais cruéis, especialmente para cães jovens.

O autismo em cães está se tornando uma coisa?

Quais são as vacinas mais importantes para cães e o que eles experimentarão com cada doença se não forem vacinados?

Todo filhote começa sua “jornada vacinal” com uma vacina combinada parvo/cinomose chamada “A vacina do filhote”. Esta vacina contém apenas 2 antígenos diferentes porque nessa idade seu corpo jovem só pode lutar muito e esses vírus são os mais importantes para eles.
Ao contrário da criação de anticorpos por meio da vacinação, se o filhote entrar em contato com o parvovírus, certamente desenvolverá os seguintes sintomas: vômito, sangue e mau cheiro diarréia (o sangue na diarréia vem da mucosa intestinal), desidratação, inapetência, morte. Não há cura para esta doença debilitante e os veterinários só podem dar terapia de suporte para ajudar o corpo a combater o vírus por conta própria. Mesmo assim, não há garantias de sucesso. Alguns filhotes vivem e alguns filhotes morrem.

Filhote de cachorro com ansiedade - eu amo veterinário

Canino cinomose, por outro lado, é muito mais terrível. A doença tem dois estágios e começa como uma doença respiratória regular com ênfase em secreção ocular esverdeada e pneumonia. Isso então evolui para vômitos e diarreia e, no segundo estágio, o cão desenvolve sintomas neurológicos como paralisia, convulsões, convulsões, nistagmo e morte. Isso é muito doloroso para o cão e para os donos assistirem. Nesta fase, o cachorro não tem noção do que está acontecendo e pode morder até mesmo os donos e outros animais ao redor.
Mesmo com todas essas informações disponíveis na internet onde os antivacinas se reúnem para odiar as vacinas, eles ainda decidem que vão arriscar vidas inocentes e não vacinar seus animais de estimação. Mesmo depois de testemunhar um filhote lutando contra a parvovirose e morrendo de dor, eles ainda não vacinarão o próximo animal de estimação. Mesmo depois de uma ninhada inteira morrer por não vacinar, os anti-vacinas ainda escolherão acreditar que seus cães estão melhor sem vacinas porque têm mais medo do autismo do que da morte.

Pessoas da comunidade médica veterinária tentam todos os dias educar os donos de animais de estimação sobre a importância das vacinas e do período de quarentena quando são jovens. Se você é um profissional veterinário e está lendo isso, junte-se à batalha anti-anti-vaxxer. Cada anti-vaxxer que podemos transformar é um sucesso e um filhote salvo.
Não há provas médicas de que as vacinas possam causar autismo em crianças. Além disso, ainda não há provas médicas de que o autismo existe em cães. Portanto, não há provas médicas de que as vacinas possam causar autismo em cães. Alterações de comportamento em cães devem ser investigadas como possível consequência de trauma (físico ou psicológico), não como produto vacinal.

Leia mais sobre o assunto em “Movimento anti-vaxxers na medicina veterinária” artigo em nosso blog.

O compartilhamento é cuidar!

AUTOR

Projeto dedicado a apoiar e ajudar a melhorar a Medicina Veterinária. Compartilhando informações e levantando discussões na comunidade veterinária.

Recomendado

Por que os cães comem grama

Por que os cães comem grama?

4 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!