8 problemas de saúde comuns em cães idosos e como cuidar deles

Helen Roberts DVM

publicado por Helen Roberts

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Quando um cão é considerado um idoso?

Todos nós conhecemos e amamos cães seniores com seus pelos grisalhos e andar rígido, mas sempre fazendo questão de abanar o rabo.

cães seniores

Quando falamos de cães, um cão seria considerado idoso quando está nos últimos 25% de sua expectativa de vida.

Isso pode variar para cães diferentes, portanto, não há um tamanho único para todas as raças de cães. Em termos gerais, as raças de cães menores tendem a viver mais do que as raças de cães grandes. Por exemplo, um Dogue Alemão de oito anos seria considerado um cão sênior em oposição a um Chihuahua de oito anos, que seria considerado um adulto maduro. Existe uma calculadora prática SUA PARTICIPAÇÃO FAZ A DIFERENÇA que pode ser usado para o seu cão em particular.

Neste artigo, detalharemos os oito problemas de saúde mais comuns em cães idosos, o que procurar e o que pode ser feito para tornar os anos do pôr do sol mais confortáveis ​​para o seu cão.

8 problemas de saúde comuns em cães idosos

  1. Perda de audição e visão

Surdez e cegueira podem ocorrer em cães idosos devido à degeneração dos tecidos. A catarata é uma doença do olho e é mais comum em cães idosos. Catarata em cães se formam na lente do olho e são vistos como turvação no olho e podem levar à cegueira. 

A catarata pode afetar um ou ambos os olhos. Se você suspeitar de catarata, leve seu cão ao veterinário. A degeneração nuclear pode ser muito semelhante à catarata, mas não afeta a visão. Opções médicas e cirúrgicas estão disponíveis para gerenciar a catarata. 

Existem outras causas de cegueira e surdez em cães idosos, portanto, verifique-os para ter paz de espírito se você estiver preocupado. Infelizmente, nem tudo pode ser consertado, mas aprender a lidar com a surdez e a cegueira pode ajudar a deixar seu animal de estimação mais confortável.

  1. Doença articular

A osteoartrite, também conhecida como artrite, é a causa mais comum de dor e rigidez nas articulações. A artrite é progressiva e é causada pela fricção do osso no osso quando uma articulação perde sua lubrificação natural e cartilagem. Lesões anteriores e má conformação corporal podem predispor à artrite em certas articulações. 

Não há cura para a artrite uma vez desenvolvida, mas a correção cirúrgica de lesões ou anormalidades de confirmação pode ajudar a prevenir a artrite no futuro. Alívio da dor, suplementos, e alimentos especiais podem ajudar a controlar a artrite, bem como fisioterapia, hidroterapia e Agulhas Acupuntura.

  1. Perda da Função Cognitiva

Como as pessoas, os cães podem desenvolver sinais de demência à medida que envelhecem. Ansiedade, confusão, choramingar excessivo, ou latir sem motivos aparentes podem ser sinais de perda da função cognitiva. Outras condições também podem causar esses sinais, portanto, se houver alguma alteração no comportamento do seu cão, é melhor que seja examinado pelo seu veterinário. 

Não há cura específica para a perda da função cognitiva, mas há coisas que podem ser feitas para ajudar seu cão a se sentir mais confortável. Converse com seu veterinário para obter mais informações.

  1. Câncer

Muitos tipos diferentes de câncer são mais comuns em cães idosos. Embora cada caroço que seu cão desenvolva não seja necessariamente canceroso, sempre vale a pena examiná-los e potencialmente testá-los para confirmar que não são algo para se preocupar.

câncer ósseo em cães idosos
De anônimo: “Pet estava com edema nos membros há vários dias e sangue nas fezes há semanas. Câncer ósseo em todos os 4 membros. Os donos queriam analgésicos para manter o animal confortável em casa até a hora.”
  1. Doença cardíaca

Doença cardíaca pode tornar-se mais evidente à medida que o cão envelhece. A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é onde um coração já doente luta para acompanhar o fluxo sanguíneo, e um “engarrafamento” pode ocorrer quando o sangue não é bombeado com rapidez suficiente. 

Quando isso ocorre, o fluido sai dos vasos sanguíneos e pode se acumular nos pulmões ou no abdômen. Você verá sinais de excesso de líquido nesses órgãos. Embora a ICC seja um ponto final de muitos tipos diferentes de doenças cardíacas, pode ser a primeira vez que você percebe um problema. Os sinais clássicos de ICC incluem aumento da frequência respiratória em repouso, tosse, intolerância ao exercício e abdome arredondado. 

No entanto, existem outros sinais, por isso, se você estiver preocupado com as mudanças em seu animal de estimação, procure orientação de seu veterinário.

  1. Obesidade

À medida que os cães envelhecem, seu metabolismo diminui e, frequentemente, sua capacidade de se exercitar também diminui. Essa combinação pode levar a obesidade, o que pode sobrecarregar as articulações e complicar o tratamento de doenças concomitantes. 

Incentivar o exercício adequado e fornecer quantidades adequadas de alimentos especificamente para a idade ajudará a prevenir a obesidade. 

  1. Doenças gastrointestinais e incontinência

A doença gastrointestinal pode ser causada por várias razões em cães idosos. Seu veterinário deve investigar vômitos e diarréia que não resolve rapidamente, pois podem indicar algo sério. 

Além disso, à medida que os cães envelhecem, eles podem começar a ter acidentes em casa que não aconteciam quando adultos. A incontinência pode ser causada por um problema físico, mas também pode ser um sinal de dor e um cão não ser capaz de sair ao banheiro. 

Um exame físico completo com possíveis exames de sangue e urina ajudará seu veterinário a descobrir a melhor forma de evitar isso.

  1. Problemas renais

Os rins podem degenerar em cães à medida que envelhecem. Você pode suspeitar de doença renal ao notar seu cão bebendo quantidades excessivas de água e urinando mais do que o normal. Seu cão também pode ficar incontinente e urinar em casa ou na cama, enquanto luta para acompanhar o aumento da urina produzida. 

Veterinários podem diagnosticar doença renal em exames de sangue e urina e, dependendo da causa, iniciar tratamento para ajudar. A ingestão de alimentos e água do seu cão sênior deve ser monitorada de perto, e seu veterinário deve verificar qualquer alteração.

Os sinais de que seu cão está envelhecendo

Existem alguns sinais clássicos que você pode notar à medida que seu cão envelhece. Estes podem incluir dormir mais, ser mais lento para se levantar, grisalho ao redor do rosto, mudanças na densidade da pelagem, unhas mais longas e quebradiças. 

Outras alterações, como o desenvolvimento de nódulos e alterações no apetite, também podem ser normais e não são motivo de preocupação. No entanto, é sempre melhor trazê-los ao seu veterinário para ter tranquilidade.

Coisas que seu cão sênior quer que você saiba

Existem algumas considerações importantes a ter em conta ao cuidar de um cão sénior. 

https://www.youtube.com/watch?v=tC6IwyhN54M

“Minha audição e visão não são o que costumavam ser” 

Quando um cão envelhece, pode desenvolver perda de audição e visão, que pode ocorrer sutil e lentamente ao longo de muitos meses ou anos. Um sinal que você pode notar indicando um problema é se assustar facilmente ou ser pior na lembrança do que o normal quando costumava ser responsivo.

Depois de verificar o seu animal de estimação para ter certeza de que nada pode ser feito, é tudo uma questão de adaptação. Garanta que seu ambiente doméstico seja acessível para que eles naveguem e sejam pacientes à medida que se adaptam ao novo normal.

“Estou um pouco mais duro do que costumava ser”

Como cães idosos são mais propensos a osteoartrite. É essencial certificar-se de que eles estão confortáveis, verificando com seu veterinário se algo pode ser feito para ajudar. 

Suplementos e remédios podem ajudar, assim como a fisioterapia, mas também há coisas que você pode fazer em casa para ajudar. Adicionar um banquinho para os cães subirem no sofá com mais facilidade e adicionar uma rampa ao carro para que eles não precisem pular permitirá que eles se locomovam. 

“Minhas necessidades de energia não são o que costumavam ser” 

À medida que os cães envelhecem e seu metabolismo diminui, suas necessidades calóricas diminuem. A verificação regular do peso e a medição cuidadosa de alimentos de alta qualidade apropriados para a idade são o primeiro passo para evitar o ganho de peso. 

Se você perceber que seu filhote está ganhando peso sem motivo aparente, leve-o ao veterinário, pode haver um motivo médico que precisa ser abordado.

“Preciso de um pouco mais de cuidado e paciência”

Nossos animais de estimação idosos geralmente não são tão bons em cuidar de si mesmos como costumavam ser, então precisamos intensificar e ajudá-los. Muitas vezes, os cães idosos andam menos, o que significa que suas unhas não se desgastam tão rapidamente. Regular prego guarnições podem ser necessárias para manter as unhas em boas condições. 

Cães idosos também podem se limpar menos e precisam de cuidados mais regulares aliciamento e banho. 

Além do TLC extra necessário, os cães idosos podem ter função cognitiva reduzida, o que significa que podem cometer erros como ir ao banheiro ou latir em momentos inadequados. 

Abordar esses contratempos com amor e compreensão é importante e, como sempre, leve-os ao veterinário se estiver preocupado que possa haver um problema de saúde subjacente.

Perguntas frequentes sobre cães idosos – de donos de animais de estimação

Aqui estão algumas perguntas comuns que os veterinários fazem diariamente sobre cães idosos.

  1. Meu cachorro é idoso?

Como discutido acima, a idade exata varia. Em geral, um cão menor será um idoso com cerca de nove anos, um cão de raça grande com cerca de oito anos e um cão de raça gigante com cerca de sete anos.

  1. Quais são alguns sinais comuns de doença que eu deveria estar atento?

Qualquer alteração do comportamento habitual do seu animal de estimação pode ser motivo de preocupação. Por exemplo, se o seu cão costumava ter muito apetite, mas agora está deixando metade do jantar sem comer, isso é incomum e deve ser verificado. O mesmo para mudanças na bebida, níveis de atividade e uso do banheiro.

Algumas mudanças podem ser sutis e não óbvias, por isso é uma boa ideia consultar regularmente seu veterinário para garantir que seu animal de estimação esteja saudável.

  1. Preciso me preocupar com esse caroço?

Qualquer nódulo pode ser canceroso. Veterinários e donos de animais de estimação não podem olhar para um nódulo e diagnosticá-lo com certeza absoluta. 

Alguns caroços são mais evidentes do que outros, mas se houver alguma dúvida, faça o teste e você terá certeza.

  1. Quando vou saber quando é hora de dizer adeus?

Como veterinários, muitas vezes enfrentamos questões difíceis sobre como colocar os animais para dormir. Temos a sorte, como profissão, de aliviar o sofrimento de nossos pacientes e também estamos cientes da complexidade do tema. 

Infelizmente, o momento exato para considerar eutanásia é subjetivo, e cada proprietário e veterinário podem ter opiniões diferentes. Se um animal está sofrendo e nada pode ou será feito para parar o sofrimento, a eutanásia deve ser fortemente considerada. 

Se você não estiver pronto, converse com seu veterinário sobre as opções de cuidados paliativos que podem dar a você e seu animal de estimação um tempo precioso juntos enquanto você chega a um acordo com sua decisão. Lembre-se, não é cruel sacrificar um animal de forma humana, e a eutanásia é um plano de tratamento adequado em alguns casos.

Eu amo as principais dicas do veterinário sobre cuidados com cães idosos

Aqui estão algumas das nossas principais dicas para cuidar de um cão idoso:

  • Leve seu cão para exames regulares. Idealmente, isso deve ser feito a cada seis meses. Isso é para monitorar quaisquer alterações que possam ser sutis para um proprietário e para resolver os problemas antecipadamente. Claro, se o seu cão não estiver bem ou você estiver preocupado, leve-o para ser visto mais cedo.
  • Considere exames de sangue de rotina. Infelizmente, mesmo como veterinários, não podemos perder nada. Os animais podem mascarar doenças, e nem sempre pegamos as coisas assim que gostaríamos. Exames de sangue de rotina podem ser uma ferramenta valiosa para avaliar a função de órgãos vitais e podem nos dar tranquilidade de que nada está errado ou nos permitir perceber coisas que, de outra forma, teríamos perdido.
  • Preste atenção especial a todas as partes do seu cão sénior. Verificar o seu cão de vez em quando e compará-lo com algumas semanas ou meses atrás pode permitir que você monitore as mudanças. Certificar-se de observar os níveis de banheiro, bebida, alimentação e atividade significará que, quando algo mudar, você estará mais atento. 
  • Manter uma boa saúde bucal. Infelizmente, a boca pode estar “fora da vista, fora da mente” para muitos proprietários, e é apenas durante os exames de saúde que doença dental pode ser descoberto. Certificar-se de verificar a boca regularmente e manter uma boa higiene dental para seu animal de estimação ao longo de sua vida pagará dividendos quando os cães forem mais velhos. 

No entanto, se o seu cão sofre de uma doença dentária e o seu veterinário recomenda uma revisão dentária, recomendamos que o faça. A dor de dente pode ser grave, e muitas vezes ouvi o quanto a personalidade e a energia de um cão retornam quando os dentes podres são classificados.

Conclusão

É um privilégio possuir um animal e isso nunca é mais verdadeiro do que quando se trata de cães idosos. Nossos caninos estão presentes ao longo de nossas vidas nos bons e maus momentos, e merecem os melhores cuidados quando realmente precisam.

Trabalhando ao lado de sua equipe veterinária, você pode deixar seu cão sênior confortável à medida que envelhece e resolver os problemas rapidamente.

Fazer algumas mudanças para se adaptar ao ambiente doméstico e mostrar paciência e cuidado à medida que suas necessidades mudam pode permitir um tempo tranquilo e sem estresse para aproveitar o resto de sua preciosa vida juntos.

O compartilhamento é cuidar!

Helen Roberts DVM

AUTOR

A trajetória de Helen na medicina veterinária é marcada pela dedicação à prática de pequenos animais e pela sede de experiências diversas. Ela se formou na Massey University em 2016, iniciando sua carreira em uma clínica rural em Canterbury, Nova Zelândia, antes de se aventurar no Reino Unido em busca de novos desafios. O amor de Helen pelos animais sempre esteve no centro da sua paixão, e o seu sonho de trabalhar com eles tornou-se uma realidade.

Recomendado

Por que os cães comem grama

Por que os cães comem grama?

4 min read

Dia Mundial do Veterinário

Comemorando o Dia Mundial da Veterinária de 2024

5 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!