Descobrindo a verdade por trás da insuficiência cardíaca congestiva em gatos

Kaylee Ferreira

publicado por Dra. Kaylee Ferreira

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Felinos e Insuficiência Cardíaca Congestiva

O diagnóstico de insuficiência cardíaca congestiva em gatos às vezes é difícil para os donos, então vamos examinar os detalhes para entender melhor a condição. 

Problemas cardíacos em gatos ocorrem quando o coração de um gato não consegue atender às necessidades básicas de débito cardíaco. A saída inadequada do coração significa que ele não consegue bombear o sangue de forma eficaz, resultando em várias consequências que levam à insuficiência cardíaca congestiva (ICC). 

Médico veterinário fazendo check-up no gato

Os estágios da insuficiência cardíaca congestiva em gatos

O coração é responsável por bombear sangue para todo o corpo para fornecer oxigênio e nutrientes aos órgãos vitais e sistemas de órgãos e transportar produtos residuais metabólicos e dióxido de carbono. Quando o coração não desempenha mais seu papel com eficiência, todo o corpo é afetado negativamente. 

Se um veterinário suspeitar de doença cardíaca, o gato precisa de uma avaliação cardíaca completa para avaliar a ICC. A insuficiência cardíaca é uma condição progressiva, portanto, mesmo que os pacientes não apresentem sintomas clinicamente, eles ainda correm o risco de desenvolver sintomas mais tarde.   

ACVIM Insuficiência Cardíaca Congestiva em Gatos Estágios:

  • Estágio A é o termo pré-clínico para gatos com cardiomiopatias, mas ainda sem sinais clínicos. Esta fase inclui gatos geneticamente predispostos a desenvolver doenças cardíacas, como American Shorthairs, British Shorthairs, Maine Coons, Persas e Ragdolls. 
  • Estágio B indica evidência de cardiopatia, mas sem manifestações de sintomas clínicos. A fase B subdivide-se em:
    • B1 inclui gatos com baixo risco de desenvolvimento rápido de CHF ou tromboembolismo arterial (ATE). 
    • B2 inclui gatos com alto risco de desenvolvimento rápido de CHF ou ATE. 

O tamanho dos átrios determina quais gatos são classificados como B1 ou B2. 

  • Estágio C inclui gatos com sinais clínicos de CHF ou ATE. Se o paciente responder bem ao tratamento, ele permanece no estágio C. 
  • Estágio D ocorre quando os gatos se tornam refratários à medicação, também conhecida como insuficiência cardíaca congestiva terminal em gatos.

As causas da insuficiência cardíaca congestiva felina

A natureza subclínica e progressiva dessa condição geralmente deixa os proprietários se perguntando o que causa a insuficiência cardíaca congestiva em gatos.

O termo amplo insuficiência cardíaca congestiva descreve quando o coração compensa uma diminuição do débito cardíaco, resultando em aumento da pressão arterial e congestão pulmonar, levando à hipertensão pulmonar e acúmulo de líquido. 

A insuficiência cardíaca em gatos ocorre devido a um processo de doença subjacente. A principal causa de ICC em gatos é hipertrófica Cardiomiopatia (CMH). HCM ocorre devido a danos nas fibras musculares nas paredes da câmara cardíaca, tornando-as mais espessas e rígidas. HCM tem um alto nível de incidência genética em gatos Main coon e Ragdoll. 

O espessamento das paredes musculares do coração prejudica a capacidade da câmara cardíaca de encher, contrair e ejetar sangue de forma eficaz. O fluxo de saída reduzido leva ao aumento do refluxo que aumenta a pressão sanguínea nos pulmões, resultando em hipertensão pulmonar e edema. A ascite resulta da hipertensão portal no fígado, que raramente está presente em gatos. 

A insuficiência cardíaca congestiva em gatos também ocorre secundária às seguintes condições: 

  • Hipertireoidismo – A ICC secundária ao hipertireoidismo é potencialmente reversível, por isso é essencial investigar a causa subjacente da ICC.
  • Hipertensão arterial devido a insuficiência renal.  
  • Defeitos nos septos ventriculares ou atriais.
  • Derrames pericárdicos. 
  • Arritmias. 
  • Massas neoplásicas ou benignas ao redor ou dentro do coração.
  • Anemia.
  • Gravidez.

Dependendo das causas da condição, a insuficiência cardíaca pode afetar gatos de várias idades, raças e sexos, mas gatos de meia-idade a idosos apresentam com mais frequência ICC. 

Sinais e sintomas da condição

A maioria dos sintomas de insuficiência cardíaca congestiva em gatos começa sutilmente e progride lentamente. A principal preocupação em gatos com problemas cardíacos começa com a respiração difícil. O aumento da pressão arterial leva ao vazamento de fluido para o tórax, prejudicando a capacidade do pulmão de perfundir o sangue.

Os sintomas comuns de insuficiência cardíaca em gatos incluem os seguintes:

  • Uma tosse úmida ocorre quando o gato se deita de bruços. 
  • Diminuição dos níveis de energia.
  • A perda de peso.
  • Síncope.
  • Apetite deprimido. 
  • Abdômen distendido.
  • Trombos de sela são coágulos sanguíneos que gatos com doenças cardíacas têm alto risco de desenvolver em seus membros posteriores. Os proprietários devem monitorar seus gatos quanto a sinais de dor súbita e intensa no membro traseiro, causando disfunção do membro. 

Os gatos são criaturas estóicas que não apresentam doenças tão obviamente quanto os outros animais, por isso os donos muitas vezes não percebem os sintomas porque são muito sutis. 

Para detectar os sinais de insuficiência cardíaca congestiva em gatos, os proprietários devem monitorar seus animais de estimação de perto; especialmente raças predispostas a problemas cardíacos. Gatos que apresentam intolerância a exercícios repentinos e falta de ar precisam de atenção veterinária o mais rápido possível.

Veterinário fêmea com gato

Como é diagnosticada a ICC em gatos? 

Quase metade dos gatos que apresentam doença cardíaca não apresentam sopros cardíacos detectáveis, portanto, o diagnóstico ocorre apenas se houver uma predisposição genética, achados incidentais de processos patológicos não relacionados ou se os sintomas clínicos já se manifestaram.

Um veterinário fará um exame clínico e fará um histórico completo se suspeitar de problemas cardíacos subjacentes em gatos. Os testes usados ​​para diagnosticar doenças cardíacas em gatos incluem o seguinte:

  • Os testes de laboratório incluem hemograma completo, química sérica, T4 total e TSH. A análise de urina também ajuda a determinar se alguma doença renal está presente.
  • A eletrocardiografia mostra quaisquer alterações na frequência e no ritmo cardíacos com um relatório de ECG. A maioria dos gatos não apresenta anormalidades no ECG, mas alguns gatos com histórico de arritmias ou episódios de síncope apresentam.
  • As radiografias do tórax geralmente parecem normais, mas alguns casos mostram sinais de átrios esquerdos aumentados ou cardiomegalia generalizada. Padrões pulmonares e edema pulmonar indicam doença cardíaca, que tem valor diagnóstico em gatos sintomáticos. 
  • O peptídeo natriurético cerebral pró-cardíaco (pró-BNP) é uma proteína liberada do miocárdio ventricular quando o músculo se estica, tensiona ou lesiona. É um excelente exame para auxiliar na detecção de cardiomiopatias. 
  • A ecocardiografia ajuda a visualizar as câmaras cardíacas internas e os veterinários a utilizam para avaliar as alterações estruturais do coração ou anormalidades no fluxo sanguíneo.

É essencial fazer testes completos para determinar a causa da insuficiência cardíaca, pois isso ajuda a determinar o estágio da doença e as possíveis opções de tratamento. 

A expectativa de vida

A causa subjacente e os tratamentos prospectivos afetam o prognóstico da insuficiência cardíaca congestiva em gatos. A expectativa de vida de um gato com ICC depende de sua resposta ao tratamento, da progressão da doença e da adesão dos donos, mas a maioria dos gatos com ICC terminal vive apenas cerca de 1 a 3 meses.

Tratamento e Prognóstico

Se diagnosticada precocemente, a insuficiência cardíaca congestiva em gatos apresenta opções de tratamento promissoras. O estágio da doença cardíaca determina quais medicamentos e procedimentos são necessários para ajudar a melhorar a qualidade de vida do gato. 

Se um gato tiver acúmulo de líquido no peito ou no abdômen, os veterinários formularão uma estratégia de tratamento combinando medicação, hospitalização, oxigenoterapia e colocação de dreno para aliviar os sintomas.

Os medicamentos prescritos visam atingir os seguintes resultados terapêuticos:

  1. Diminuir a pressão arterial com inibidores da ECA. 
  2. Melhorar o débito cardíaco com inotrópicos positivos.
  3. Diminua ou resolva o acúmulo de líquido com diuréticos.  
  4. Os anticoagulantes diminuem o risco de formação de trombo em sela.

A administração de medicamentos a um gato representa desafios para veterinários e proprietários. A medicação para o coração requer administração diária, geralmente em comprimidos orais. Os gatos às vezes desenvolvem aversão alimentar com comprimidos em sua comida ou comportamento rebelde quando os donos tentam medicá-los. Esses desafios afetam a adesão ao tratamento e o gerenciamento bem-sucedido dos sintomas. 

O veterinário examina a cronicidade, gravidade, causa primária e resposta ao tratamento ao determinar uma insuficiência cardíaca congestiva no prognóstico de um gato. 

Nutrição em Gatos com Problemas Cardíacos

A condição corporal de um gato com ICC é um importante indicador prognóstico de doença cardíaca, por isso os donos precisam reconhecer quando seu gato está perdendo peso ou massa muscular. Se um gato é muito magro ou gordo, isso afeta negativamente seu tempo de sobrevivência. 

Dietas com o número correto de calorias, proteínas de alta qualidade e Omega-3 ácidos graxos fornecem o melhor suporte nutricional para gatos com doenças cardíacas - dietas e guloseimas com baixo teor de sódio ajudam a reduzir a pressão arterial. 

Um gato doente não come bem, então os donos devem monitorar seus gatos de perto para garantir que sua ingestão de calorias permaneça intacta por longos períodos. Para promover a ingestão de alimentos, os proprietários podem considerar as seguintes dicas:

  • Aqueça a comida macia e deixe o gato sentir o cheiro da comida.
  • Alimente refeições pequenas e frequentes diariamente para oferecer variedade e combater a aversão alimentar. 
  • Adicione carnes caseiras sem adição de sal, como frango, peixe ou carne bovina. 
  • Tente adicionar óleos de peixe às suas refeições, que oferece vários benefícios, como suplementação de ácidos graxos ômega-3, redução da inflamação e estimulação do apetite. 

Onde está o coração de um gato?

O coração de um gato fica entre a terceira e a quarta costela no peito. Os pulmões esquerdo e direito cobrem o coração, e o ápice do coração bate mais forte no lado esquerdo do peito. 

O coração de um gato é oblongo e estreito quando observado em uma radiografia de tórax, mas as alterações causadas pela ICC alteram a aparência do coração e alteram levemente a localização e a forma esperadas no tórax. 

A condição pode ser curada?

A insuficiência cardíaca congestiva geralmente leva a alterações irreversíveis na estrutura e na capacidade funcional do coração. Essas mudanças significam que a doença é crônica e requer gerenciamento de longo prazo para lidar com os sintomas da doença.

Os gatos que respondem bem ao tratamento e têm donos compatíveis lidam bem com a ICC, mas não há cura para a insuficiência cardíaca congestiva. Independentemente do tratamento, a doença ainda progride. 

O tratamento da ICC visa preservar a qualidade de vida do gato.

Se um gato é diagnosticado com hipertireoidismo, há esperança de curar a causa subjacente da insuficiência cardíaca. Se os veterinários tratarem e controlarem a doença da tireoide de maneira eficaz, a ICC tem potencial para resolução total.  

A ICC em Felinos pode ser Prevenida?

A melhor maneira de prevenir a insuficiência cardíaca em gatos é a detecção precoce e visitas veterinárias anuais com exames de sangue de rotina. Os proprietários podem retardar a progressão da doença se diagnosticados precocemente e seguindo rigorosamente os protocolos de tratamento. 

Monitorar os níveis de atividade, peso, apetite e condição corporal geral de um gato é a chave para a invenção inicial. Estar bem informado também é essencial para os proprietários de raças predispostas a problemas cardíacos, para garantir que detectem os sintomas no início da doença. 

CHF é doloroso para gatos?

A doença cardíaca em gatos não é necessariamente uma condição dolorosa, mas à medida que os sintomas progridem e os derrames pulmonares e abdominais aumentam, a capacidade do gato de respirar confortavelmente fica comprometida. Esse desconforto, falta de ar e aumento da letargia comprometem a qualidade de vida do gato. 

Os sinais clínicos que tornam a ICC desconfortável incluem acúmulo de líquidos, vômitos, perda muscular e Tosse. A progressão da doença também resulta em aumento da ansiedade, pois os gatos não se sentem mais confiantes em sua capacidade de lutar ou fugir, tornando-os vulneráveis.   

Veterinário segurando um gato

A palavra está fora!

A doença cardíaca felina é mais comum do que a maioria dos proprietários pensa, afetando cerca de quinze por cento dos gatos.

A detecção de cardiomiopatias em gatos representa um grande problema para os médicos e proprietários porque os problemas cardíacos em gatos são difíceis de diagnosticar. Os tratamentos são crônicos e os proprietários devem se sentir confortáveis ​​com a administração diária de medicamentos. 

Gatos com doenças cardíacas têm potencial para levar uma vida plena, mas é fundamental estar atento à sua qualidade de vida. A administração crônica de medicamentos, dificuldade respiratória, idas frequentes ao veterinário e internações hospitalares tornam-se estressantes para os gatos, e os proprietários devem identificar quando o gato para de lidar. 

A detecção precoce de doenças cardíacas, planos de tratamento monitorados de perto e foco na qualidade de vida de um gato ajudam a orientar os proprietários e apoiá-los em sua jornada com um gato com doença crônica.

O compartilhamento é cuidar!

Kaylee Ferreira

AUTOR

A Dra. Kaylee Ferreira, veterinária sul-africana de Joanesburgo, destaca-se em diversas funções veterinárias. Fundadora dos Serviços Veterinários Kubuntu, ela é uma dedicada amante dos animais e aventureira.

Recomendado

pediátrico para cães

Pedialyte para cães: 2024 atualizado

8 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!