Informações fáceis de seguir sobre ancilostomíase em cães

Akosua

publicado por Akosua Kumi Nyarko

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Provavelmente conhecemos alguém que passou por tratamento para ancilostomíase, mas quantos de nós sabem sobre ancilostomíase em cães?

Crescendo e assistindo a filmes sobre piratas, uma pessoa sempre nos surpreendeu. Seu palpite é tão bom quanto o meu! O capitão sempre perdia uma mão e usava um gancho. Ele comanda a tripulação com grande poder e sempre abre a caixa do tesouro com o gancho.

Com muita imaginação, muitas vezes nos perguntamos como são os ancilostomídeos. Se os ancilostomídeos são como piratas, eles têm ganchos? Eles estão comandando? E que tesouros eles abrem com seus ganchos, se é que existem?

Vamos satisfazer nossa curiosidade juntos. 

Infecção por ancilóstomos

O que é ancilostomíase em cães?

Ancilostomídeos são vermes no intestino de cães. Eles pertencem ao filo científico Nematoda, que são lombrigas. Os ancilostomídeos que infectam cães são Ancilostoma caninum, Uncinaria stenocephala, e Ancylostoma brasiliense.

Ancilostomídeos são parasitas que vivem dos nutrientes de seus cães. Eles são encontrados em áreas tropicais e subtropicais e em todo os Estados Unidos da América. 

Causas e Transmissão

O que causa ancilostomíase em cães é simples. A transmissão de ancilostomídeos ocorre facilmente em ambientes superlotados, juntamente com falta de saneamento. Eles são transmitidos de um cão para outro por via oral, da mãe para os filhotes através da placenta, pele, amamentação e penetração cutânea. 

A placenta (infecção in utero) e a amamentação (infecções transmamárias) são as vias mais comuns e importantes dos filhotes.

Como são os ancilostomídeos?

Você pode estar se perguntando como é a ancilostomíase em cães. Os ancilostomídeos receberam esse nome por causa de sua boca semelhante a um gancho, que eles usam para segurar as paredes intestinais para evitar que sejam eliminados nas fezes. Eles são microscópicos, com cerca de 0.08 a 0.12 polegadas (2 a 3 milímetros) e, portanto, invisíveis a olho nu. 

A parte da cabeça do verme é dobrada no lado dorsal do corpo e parece um anzol de pesca. Os ovos são morulados (parecem um aglomerado de ovos diferentes) e têm cerca de 0.002 a 0.004 polegadas (0.05 a 0.1 milímetros) por 0.001 a 0.002 polegadas (0.03 a 0.05 milímetros) de tamanho. 

Sintomas de ancilostomíase e sinais clínicos em cães

Os ancilostomídeos podem absorver muito sangue nos intestinos, levando à perda de sangue no corpo. Eles ancoram seus ganchos no revestimento intestinal e rompem os minúsculos vasos sanguíneos. Para garantir um suprimento contínuo de sangue, eles injetam um anticoagulante, que evita que o sangramento pare mesmo muito tempo após a interrupção da alimentação.

O sintoma mais óbvio da ancilostomíase em cães é a anemia (baixo nível de hemoglobina ou glóbulos vermelhos), que se manifesta como gengivas pálidas e faz com que o cão pareça fraco.

Outros sintomas de ancilostomídeos em cães incluem: 

  • Dor abdominal
  • Diarréia sanguinolenta (melena)
  • Crescimento atrofiado
  • Um casaco de cabelo opaco e seco
  • Tossindo
  • Irritação da pele, principalmente nas patas
  • Desidratação
  • Coçar enquanto as larvas se movem nos músculos
  • Morte. 
  • Doenças respiratórias, como pneumonia, podem ocorrer se muitos vermes estiverem nos pulmões.

Lembre-se de que esses sintomas podem ser outro sinal de uma doença diferente; portanto, entre em contato com seu veterinário o mais rápido possível.

Diagnosticando ancilostomídeos em cães

Os ancilostomídeos são diagnosticados com base em um exame microscópico das fezes do cão. Isso é conhecido como flutuação fecal. O procedimento de flutuação fecal consiste em misturar as fezes com uma solução de flutuação, permitindo que os ovos de ancilostomídeos flutuem na superfície. Os ovos são coletados colocando uma lâmina de vidro na solução e inspecionando-a ao microscópio. 

O teste não é facilmente confiável em filhotes porque as larvas são muito jovens para botar ovos. Nessas situações, o veterinário exigirá o histórico médico da mãe do filhote. 

Seu veterinário também pedirá algum histórico médico, histórico de viagens e condições ambientais da casa para descartar outras infecções. 

Ancilóstomo

Os ancilostomídeos caninos são contagiosos para humanos e outros animais?

Sim, os ancilostomídeos caninos podem infectar outras pessoas e animais. Em humanos, trata-se de uma zoonose (doença transmitida de animais para humanos). A transmissão de ancilostomídeos adultos de um animal para outro é impossível, mas as larvas são.

As larvas podem penetrar na pele de outros animais e humanos, mais comumente quando andam descalças em solo infectado, como na praia, em um jardim ou em qualquer lugar onde os animais de estimação possam deixar suas fezes. 

Como os humanos e outros animais não são os hospedeiros certos para a ancilostomíase canina, os vermes não atingem a maturidade e morrem após várias semanas. No entanto, eles causam coceira intensa à medida que se movem pelos músculos do corpo. Isso é conhecido como “coceira no chão” no local da penetração, e pode-se ver marcas visíveis em seu corpo da migração. 

Às vezes, a migração das larvas torna-se problemática quando danificam órgãos internos como o olho, conhecido como larval migrans cutâneo. Embora a larva migrans cutânea seja tratável, ela causa dor intensa e desconforto no indivíduo infectado.  

No entanto, a ancilostomíase é contagiosa para cães? É como se os cachorros pegassem as larvas do ambiente. 

O ciclo da ancilostomíase canina

Como qualquer animal, os ancilostomídeos têm um ciclo de vida (ovo, larva, adulto). O ciclo de vida dos ancilostomídeos em cães dura cerca de 2 a 3 semanas. 

Ancilostomídeos machos e fêmeas acasalam nos intestinos. Os ancilostomídeos fêmeas liberam centenas de ovos minúsculos e microscópicos no ambiente circundante através do cocô do cachorro infectado. Sob as condições ambientais corretas, os ovos eclodem em 2 a 9 dias e as larvas permanecem infecciosas no solo por várias semanas ou meses. 

Os cães são infectados pelo ambiente quando cheiram fezes ou terra ou lambem as patas, engolindo as larvas. Algumas larvas se enterram na pele do cachorro quando brincam no solo. As larvas ingeridas acabam nos intestinos para completar seu ciclo de vida. 

Algumas larvas se movem para a traquéia (traqueia) e pulmões, e o cão as expele após engoli-las. Os intestinos são o local de maturação das larvas de ancilostomídeos. Algumas larvas permanecem dormentes (desenvolvimento interrompido) nos tecidos musculares e aguardam o momento certo, como a gravidez, para reativar.

Como são tratados os ancilostomídeos em cães?

O tratamento de ancilostomídeos em cães é feito pela administração de anti-helmínticos, popularmente conhecido como “desparasitação”. Esses medicamentos geralmente são administrados por via oral em xaropes ou comprimidos, mas alguns são injetáveis. 

Essas drogas visam apenas ancilostomídeos adultos; portanto, repetir a medicação em 2 a 4 semanas é apropriado para matar qualquer verme recém-nascido. O prazo é baseado no ciclo de vida do worm e pode ser diferente para outros worms. 

Seu veterinário recomendará ferro e outros suplementos vitamínicos para seu cão, dependendo da gravidade das infestações. Filhotes com anemia grave recebem transfusões de sangue. 

Atualmente, não há medicamentos disponíveis para matar os ovos da ancilostomíase. Nosso quintal e ambiente vizinho devem ser mantidos livres de fezes, pois elas contêm ovos se o cão estiver infectado. 

 Seu veterinário realizará outro teste de flutuação após o tratamento para determinar se o cão está livre de ancilostomídeos.

Medidas preventivas

Uma das melhores medidas preventivas é garantir que seu cão esteja em sua rotina regular preventivo de dirofilariose droga, pois essas drogas também são eficazes contra ancilostomídeos. 

Filhotes devem ser iniciados em vermífugos tão cedo quanto 2 a 3 semanas desde que haja transmissão intrauterina e transmamária; a desparasitação de cães lactantes também deve ocorrer neste momento. O calendário de desparasitação para cachorros deve ser quinzenal. A desparasitação regular de cães adultos é necessária para prevenir infestações.

Além disso, não permita que seus cães façam cocô em espaços abertos no ambiente, pois isso levaria à contaminação ambiental. Recolha o cocô do seu cão com luvas todas as vezes e descarte-o bem. 

A ancilostomíase prospera em canis imundos e superlotados; portanto, recomendamos a higiene adequada do canil. Limpe e desinfete o canil e o quintal regularmente e evite levar seu cão a locais com muito cocô. 

Mantenha uma higiene pessoal adequada, principalmente com as crianças, que costumam brincar na terra. Sempre lave as mãos o tempo todo e use calçados, especialmente ao caminhar ao ar livre. 

Resistência a ancilostomídeos em cães

Com o passar dos anos, a resistência a ancilostomídeos em cães está se tornando um grande problema. Algumas cepas de ancilostomídeos carregam e espalham genes de resistência. Esses ancilostomídeos são resistentes a todos e à maioria dos anti-helmínticos disponíveis (essas drogas não funcionam mais neles). 

Esses cães com ancilostomídeos resistentes continuam a liberar ovos de ancilostomídeos no meio ambiente, mesmo quando estão tomando medicamentos, que são contagiosos para os cães. As cepas genéticas são fáceis de transmitir; com o tempo, toda uma população de ancilostomídeos em um solo infectado torna-se resistente. 

A resistência aos anti-helmínticos em ancilostomídeos começou com galgos, mas agora é um problema para muitos cães. Os pesquisadores estão atentos para desenvolver novas drogas para conter isso, mas enquanto isso, vamos apenas dar a medicação certa na hora certa e na dosagem adequada. 

Dermatite Canina Ancilostomíase

A dermatite por ancilostomídeos em cães ocorre pela penetração das larvas na pele do animal. Isso causa dermatite grave (inflamação da pele) ao redor das patas e espaços interdigitais e é acompanhada por coceira e pequenas protuberâncias cutâneas elevadas. Todas as três espécies de ancilostomídeos podem causar dermatite por ancilostomídeos.

Os primeiros sinais em cães são inchaços na pele com vermelhidão, enquanto os estágios posteriores incluem almofadas dolorosas e inchadas com espaços interdigitais espessados. 

Como essas condições de pele também são típicas de infestação de ácaros, os veterinários fazem uma raspagem da pele para descartar a infestação de ácaros. 

Ancilóstomo

Resumo

A ancilostomíase pode ser assustadora, especialmente em filhotes, mas é tratável quando detectada a tempo. Use isso como um guia para estar constantemente atento para evitar que seus amados cães e você mesmo contraiam infestações de ancilostomídeos.  

O compartilhamento é cuidar!

Akosua

AUTOR

Atualmente oficial veterinário da Universidade de Gana, Akosua desempenha um papel fundamental no diagnóstico de doenças, tratamento e supervisão de estudantes. A jornada educacional de Akosua em medicina veterinária foi fundamental para moldar o seu compromisso com a educação e conscientização pública. Seu treinamento veterinário a prepara para comunicar tópicos complexos para compreensão pública. Sua presença online no Instagram atinge um público mais amplo. Ela se envolve ativamente em falar em público, inspirando uma compreensão mais profunda do cuidado responsável dos animais de estimação e do papel dos profissionais veterinários na promoção de uma coexistência mais saudável entre humanos e animais.

Recomendado

pediátrico para cães

Pedialyte para cães: 2024 atualizado

8 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!