Por que os cães ofegam? E quando é sinal de algo mais sério?

Alianna Munakata

publicado por Alianna Munakata

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Por que meu cachorro está ofegante? 

Você já olhou para o seu cachorro e se perguntou: “Por que meu cachorro está ofegante?”. A resposta para isso está por trás de uma pergunta maior, “por que os cães ofegam?”. Bem, deixe-nos guiá-lo pelo tópico esperando que você obtenha sua resposta e outras informações relevantes que possam ser úteis para você. 

cão branco ofegante

As razões por trás dos cães ofegantes

As razões para ofegar podem ser:

  1. Homeostático (regulação de temperatura)
  2. Comportamentais
  3. Produtos Químicos
  4. Medicina

1. Homeostático 

Ofegante é uma parte do mecanismo de resfriamento do corpo em cães. Os cães têm dois tipos de glândulas sudoríparas chamadas glândulas sudoríparas merócrinas e glândulas sudoríparas apócrinas. As glândulas sudoríparas merócrinas estão localizadas nas almofadas das patas e as glândulas sudoríparas apócrinas estão localizadas na pele em todo o corpo.

As glândulas sudoríparas merócrinas são ativadas em resposta ao calor e liberam água (suor) para evaporar, o que é semelhante às glândulas sudoríparas em humanos. As glândulas sudoríparas apócrinas, no entanto, são mais um liberador de feromônios. Portanto, seu papel principal é a secreção de feromônios e não envolve a evaporação do suor ou a ação de um mecanismo de resfriamento.

Como as glândulas sudoríparas merócrinas estão localizadas apenas nas almofadas das patas, as glândulas sudoríparas dos cães não são eficientes o suficiente para remover o excesso de calor do corpo por conta própria, ao contrário dos humanos.

Ofegante aumenta a evaporação da umidade nas membranas mucosas das passagens nasais, boca e pulmões, movendo rapidamente o ar para dentro e para fora.

2. Comportamental

Estresse, dor e excitação são os fatores psicológicos que desencadeiam mudanças fisiológicas no organismo, principalmente estimulando as glândulas adrenais a liberar cortisol e adrenalina. Isso resulta no aumento do comportamento respiratório, entre outras coisas. 

Condições médicas que afetam as glândulas supra-renais e a regulação dos hormônios do estresse, como Doença de Cushing (Hiperadrenocorticismo) e a doença de Addison (Hipoadrenocorticismo), portanto, afetam a respiração do cão.

3. Químico

Alguns medicamentos veterinários podem desencadear a respiração ofegante como efeito colateral. Por exemplo, drogas esteróides como Prednisolona são comumente conhecidos por afetar a respiração, e os cães que tomam esses medicamentos podem ser vistos ofegantes do nada. 

As reações alérgicas a certos estímulos podem resultar em respiração excessiva, dispneia ou respiração ofegante. Isso é conhecido como asma do cão, e é devido a uma inflamação do trato respiratório. Essa resposta inflamatória causa aperto e muitas vezes espasmos na área e torna a respiração mais difícil. 

Existem diferentes tipos de alergias que os cães podem adquirir. Alergias alimentares são comuns, mas também existem alergias ambientais e alergias de pele. 

A exposição a certas substâncias tóxicas pode levar a anormalidades respiratórias, como respiração ofegante. As vias de exposição podem ser ingestão, inalação, contato dérmico e injeção.

4. médico

O trato respiratório está constantemente sob pressão em condições médicas como doenças respiratórias, paralisia laríngea, colapso da traqueia, doenças cardíacas, anemia e obesidade. Portanto, ofegar é uma ocorrência mais frequente para cães com essas condições.

Infelizmente, algumas raças estão predispostas a ter as condições acima mencionadas mais do que outras raças.

  • Doença de Cushing: Boston terrier. Dachshunds, Poodles e Yorkshire Terriers.
  • doença de Addison: Bearded Collies, Great Danes, Labrador retrievers, Leonbergers, Nova Scotia Duck Tolling Retrievers, Portuguese Waterdogs e Standard Poodles.
  • Doenças respiratórias: Raças braquicefálicas (raças de focinho curto e focinho chato) como Boxers, Bulldogs, Pequineses e Pugs.
  • Paralisia laríngea: Setters Irlandeses e Labrador Retrievers.
  • Colapso da traqueia: Chihuahuas, Lhasa Apsos, Lulu da Pomerânia, Shih Tzu, Poodle Toy e Yorkshire Terrier.
  • Doenças cardíacas: Cocker spaniels, Springer Spaniels ingleses, Boxers, Doberman Pinschers, Great Danes, Irish Wolfhounds, Portuguese Waterdogs e Saint Bernards.
  • Anemia: Cocker Spaniels, Collies, Doberman Pinschers, Springer Spaniels Ingleses, Setters Irlandeses e Poodles Standard.
  • Obesidade: Beagles, Golden Retrievers, Labrador Retrievers, Pugs e Staffordshire Bull Terriers.

O que é ofegar em cães?

Ofegante é uma ação de respiração de boca aberta moderada a rápida, onde a língua é semi-protuberante. Caracteriza-se por uma frequência respiratória mais rápida que o normal, que deve definir cerca de 20 a 30 respirações por minuto. Raças mais baixas e de rosto achatado (ou seja, Bulldogs, Pugs, Boxers) ofegam mais alto e com mais frequência do que outras raças, pois possuem um palato mole alongado que pode obstruir o trato respiratório superior.  

Pequeno cão ofegante

As diferenças entre respiração normal e excessiva

A respiração ofegante excessiva é mais frequente, constante (dura mais do que vários minutos sem uma pausa significativa) e é categorizada por respiração pesada/trabalhosa em vez de respiração normal. Muitas vezes ocorre em conjunto com hipersalivação e descoloração (rosa pálido ou azul) da língua e da membrana mucosa.

Um cão com respiração ofegante excessiva pode estar deprimido ou inquieto e pode apresentar tremores corporais/shakes.

O que devo fazer se meu cachorro calça demais?

A respiração ofegante excessiva pode levar à hipoventilação e à ingestão insuficiente de oxigênio/troca de ar.

Se possível, retire o seu cão da situação que possa ter feito com que ele ofegue excessivamente o mais rápido possível. Isso pode ser uma luz brilhante, calor excessivo, tráfego intenso e qualquer estímulo que possa ser estressante, doloroso ou excessivamente excitante.

O importante é manter seu cão calmo, evitar que a respiração piore e colocá-lo em um quarto silencioso, fresco e escuro.

Se houver suspeita de que seu cão tenha respiração ofegante / insolação induzida pelo calor, resfrie seu cão molhando o corpo completamente. Você pode oferecer água se eles forem capazes de engoli-la.

O que significa quando meu cachorro está ofegante à noite?

Que tal ofegar à noite? Isso é normal? Precisamos nos preocupar com isso? Bem, tudo depende. Pode ser um efeito colateral da medicação se o seu cão estiver tomando algum medicamento que desencadeie respiração excessiva (por exemplo, corticosteróides).

O quarto em que seu cão dorme à noite pode estar muito quente e causar um comportamento ofegante induzido pelo calor. Além disso, seu cão pode estar ansioso para se separar de sua pessoa / item favorito e, portanto, está mostrando um sinal de ansiedade de separação.

Eles podem tender a consumir alimentos muito rapidamente ou comer demais no jantar, causando desconforto e dor à noite.

Você pode pensar em fazer alguns ajustes para melhorar a situação se a causa da respiração ofegante for confirmada e puder ser controlada em casa sem qualquer intervenção veterinária.

Seguem algumas sugestões de ajustes que podem melhorar as situações citadas.

Ofegante induzida por medicação

  • Discuta com um veterinário sobre a possibilidade de usar um medicamento alternativo sem efeitos colaterais respiratórios que seu cão possa tomar.
  • Discuta com um veterinário sobre o horário da medicação e a dosagem.

Ofegante induzida pelo calor

  • Defina a temperatura ambiente (manter a temperatura ambiente) em aproximadamente 75.2 °F.
  • Adicione alguns auxiliares de resfriamento, como um ventilador e uma tigela de água.
  • Certifique-se de que seu cão tenha acesso a uma área mais fria se ficar muito quente.
  • Designe outra sala mais fria como o quarto do seu cão (se plausível).
  • Verifique a temperatura da sala regularmente.

 Ansiedade de separação

  • Modificação comportamental usando dessensibilização e contracondicionamento (isso geralmente requer a assistência de um comportamentalista veterinário profissional)
  • Faça com que seu cão durma no mesmo quarto com sua pessoa/objeto favorito (se plausível).

 Transtorno Gástrico

  • Ofereça comida em um tigela de liberação lenta ou em um quebra-cabeça alimentar para evitar o consumo rápido.
  • Altere o horário/frequência de alimentação.
  • Modificação dietética (após discutir com um veterinário) 

Quando você deve chamar o veterinário?

É recomendável que você entre em contato com uma clínica veterinária e procure atendimento médico imediatamente quando seu cão estiver apresentando os seguintes sinais:

  • Ofegante excessivamente/anormal por um período maior que vários minutos sem uma pausa significativa e sem sucesso em aliviar.
  • Aumento da intensidade da respiração ofegante.
  • Também mostrando outros sinais anormais.
  • Suspeita de exposição a uma toxina ou a um alérgeno. 

A equipe veterinária gostaria de saber o que o levou a contatá-los, e é essencial que você seja capaz de descrever a situação atual que o preocupa com o máximo de detalhes possível.  

Dessa forma, eles poderão informá-lo se o seu cão precisar de atendimento médico de emergência urgente ou de medicação não urgente. De qualquer forma, uma verificação veterinária provavelmente seria recomendada. 

Cão feliz ofegante
Por que os cães ofegam? E quando é sinal de algo mais sério? I Love Veterinary - Blog para veterinários, técnicos veterinários, estudantes

Concluindo!

A linha inferior é que os cães ofegam por muitas razões diferentes em sua vida cotidiana. Portanto, é crucial, como proprietário de um cão, entender os papéis naturais da respiração ofegante nos cães e as diferenças entre a respiração normal e anormal, para que você possa agir prontamente em caso de emergência. 

O compartilhamento é cuidar!

Alianna Munakata

AUTOR

Alianna construiu uma base educacional sólida para complementar sua extensa experiência prática no campo da medicina veterinária. Ela possui um Certificado Nacional de Enfermagem Veterinária da Nova Zelândia, obtido pela Otago Polytechnic em 2012. Além disso, ela se formou como Bacharel em Tecnologia Veterinária pela Massey University, Nova Zelândia, em 2015. Seu compromisso em expandir seu conhecimento é evidente através de seu qualificações avançadas em enfermagem veterinária, com foco específico em répteis e anfíbios, pequenos mamíferos e manejo de cobras venenosas.

Recomendado

Dia Mundial do Veterinário

Comemorando o Dia Mundial da Veterinária de 2024

5 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!