Metocarbamol para cães: efeitos colaterais, usos e dosagem

publicado por Eu amo veterinário

Atualizado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

O que é metocarbamol para cães?

O metocarbamol para cães é um relaxante muscular amplamente utilizado na medicina veterinária. É prescrito principalmente para aliviar espasmos musculares e dor, muitas vezes resultante de doença do disco intervertebral ou distensões musculares. 

Ao atuar no sistema nervoso central, o metocarbamol ajuda a reduzir a hiperatividade muscular sem relaxar diretamente o músculo. Este medicamento é fundamental para garantir conforto e auxiliar na recuperação de caninos que sofrem de distúrbios musculares e neurológicos.

Jovem bonito com cachorro

Para que é usado o metocarbamol em cães?

Indicado para o tratamento de condições inflamatórias e traumáticas agudas dos músculos esqueléticos, o metocarbamol para cães atenua a hiperatividade muscular ao inibir os reflexos monossinápticos e polissinápticos ao nível da coluna vertebral. 

Seu uso terapêutico se estende ao tratamento de espasmos decorrentes de doenças do disco intervertebral, miositee distensões musculares. 

Além disso, o metocarbamol em cães é utilizado como complemento no tratamento do tétano e de exposições venenosas que levam à rigidez muscular, sendo crucial na terapia neuromuscular canina abrangente.

Quanto tempo leva para o metocarbamol fazer efeito em cães?

O início de ação do metocarbamol em caninos normalmente varia, mas geralmente você observa efeitos clínicos dentro de 30 minutos a duas horas após a administração. Esse prazo depende de vários fatores, incluindo a taxa metabólica individual do cão, a gravidade da condição que você está tratando e os medicamentos concomitantes.

A farmacocinética do metocarbamol envolve rápida absorção pelo trato gastrointestinal, levando a efeitos terapêuticos imediatos. No entanto, o estado geral de saúde do cão e a natureza da condição muscular ou neurológica podem influenciar a duração da sua eficácia.

O monitoramento contínuo da resposta clínica é essencial para avaliar a eficácia do medicamento e ajustar as dosagens adequadamente.

Efeitos colaterais do metocarbamol para cães

O metocarbamol, comumente bem tolerado em caninos, pode causar efeitos colaterais no SNC como ataxia, sedação e letargia, muitas vezes dependentes da dose e diminuindo com o tempo. 

Problemas gastrointestinais, hipersalivaçãoe, raramente, podem ocorrer sintomas neurológicos graves, como tremores. Reações alérgicas e enzima hepática as elevações requerem uso cauteloso e monitoramento contínuo em cães com insuficiência hepática.

Metocarbamol para cães: tabela de dosagem

A administração de metocarbamol em caninos requer o cálculo de uma dose precisa, normalmente com base no peso corporal do cão e na condição específica que você está tratando.

A faixa de dosagem padrão para metocarbamol em cães é geralmente 20-30 mg/kg (9-13.6 mg/lb). Essa dosagem geralmente é administrada a cada oito a 12 horas, dependendo da gravidade da doença e da resposta do cão à medicação.

PesoDose
kg 5 (11 libras)100-150 mg
kg 10 (22 libras) 200-300 mg
kg 15 (33 libras)300-450 mg
kg 20 (44 libras)450-600 mg
kg 30 (66 libras)600-900 mg
kg 40 (88 libras)800-1200 mg

Uma dosagem mais elevada no limite superior desta faixa pode ser necessária para condições agudas, como espasmos musculares graves ou inflamação. Por outro lado, uma dose mais baixa dentro da faixa pode ser suficiente para condições crônicas ou terapia de manutenção.

O que o metocarbamol faz pelos cães?

Seu principal mecanismo de ação envolve a supressão dos impulsos nervosos que contribuem para os espasmos musculares, reduzindo assim a atividade muscular involuntária. 

Inibe os reflexos monossinápticos e polissinápticos ao nível da medula espinhal e suprime os impulsos nervosos, diminuindo assim a hiperatividade muscular sem exercer diretamente um efeito relaxante nas fibras musculares.

Resolve espasmos musculares e ajuda a diminuir a rigidez e a dor muscular, aumenta a mobilidade e promove conforto nos caninos afetados.

Quanto tempo dura uma dosagem de metocarbamol? 

A duração da ação do metocarbamol em cães varia e pode depender de vários fatores, incluindo a taxa metabólica do cão, a dose administrada e a condição específica em questão. 

Geralmente, a meia-vida do metocarbamol em caninos é de aproximadamente 1.5 a 2.5 horas. No entanto, os efeitos clínicos do medicamento podem durar mais tempo devido às suas propriedades depressoras do SNC e à consequente diminuição da hiperatividade muscular.

No uso terapêutico, veterinários ou profissionais de saúde geralmente administram metocarbamol a cada oito a 12 horas para manter concentrações plasmáticas e efeitos terapêuticos consistentes. Eles projetam esse esquema de dosagem para equilibrar a duração da ação do medicamento com sua taxa de eliminação, garantindo alívio sustentado dos espasmos musculares e sintomas associados.

É importante observar que a resposta individual ao metocarbamol pode variar e condições médicas concomitantes ou outros medicamentos podem influenciar a duração de seus efeitos. Avaliações regulares e ajustes de dosagem podem ser necessários para otimizar o regime terapêutico para cada paciente canino.

Possíveis Interações Medicamentosas

As interações do metocarbamol com vários medicamentos em caninos, como depressores do SNC, anticolinérgicos, IMAOs, relaxantes musculares, moduladores de enzimas hepáticas, anticoagulantes e agentes bloqueadores neuromusculares, requerem consideração cuidadosa na prática veterinária para garantir segurança e eficácia, necessitando potencialmente de monitoramento e ajustes de dosagem. 

Border Collie da Sorte

Quando o metocarbamol deve ser evitado em cães?

O metocarbamol deve ser utilizado com cautela ou evitado em certas situações no tratamento de cães devido a riscos potenciais ou contra-indicações. Esses incluem

Hipersensibilidade conhecida

Cães com hipersensibilidade ou reação alérgica conhecida ao metocarbamol ou a qualquer um de seus componentes devem ficar longe do medicamento.

Insuficiência Hepática Grave

Dado que o fígado metaboliza o metocarbamol, cães com disfunção hepática grave podem ter depuração prejudicada do medicamento, aumentando o risco de toxicidade.

Insuficiência renal

Aconselha-se precaução em cães com compromisso renal, uma vez que a função renal reduzida pode afetar a excreção do medicamento e dos seus metabolitos, conduzindo potencialmente à acumulação e toxicidade.

Miastenia grave

Cães com miastenia gravis podem apresentar agravamento da fraqueza muscular devido às propriedades relaxantes musculares do metocarbamol.

Cães grávidas ou lactantes

Os pesquisadores não estabeleceram bem a segurança do metocarbamol em cadelas gestantes ou lactantes. Portanto, use metocarbamol apenas se os benefícios potenciais superarem os riscos.

Uso simultâneo com certos medicamentos

O metocarbamol deve ser usado com cautela quando administrado junto com outros depressores do SNC, agentes anticolinérgicos ou qualquer medicamento conhecido por interagir adversamente com ele.

Filhotes

A segurança e eficácia do metocarbamol em cachorros muito jovens são desconhecidas, justificando o uso cauteloso ou a sua prevenção nesta população. 

Como administrar metocarbamol canino

A administração de metocarbamol a cães requer uma consideração cuidadosa da dosagem, frequência e método para garantir a eficácia e segurança do medicamento. Aqui está uma orientação sobre a administração de metocarbamol canino:

Dosagem e Frequência

A dosagem de metocarbamol para cães normalmente varia de 20-30 mg/kg (9-13.6 mg/lb), administrada a cada oito a 12 horas.

Sempre use metocarbamol conforme prescrito por um veterinário. Não use medicação metocarbamol humano, a menos que seja especificamente instruído por um veterinário, pois a dosagem e a formulação podem ser diferentes.

Método de Administração

Methocarbamol geralmente está disponível em forma de comprimido. Você pode administrá-lo por via oral, diretamente, colocando-o no fundo da boca do cão ou misturando-o com uma pequena quantidade de comida. Certifique-se de que o cão engula o medicamento completamente.

Com ou sem comida

Você pode administrar metocarbamol com ou sem alimentos. No entanto, administrar o medicamento com alimentos pode ajudar a reduzir os distúrbios gastrointestinais.

do Paciente

Observe o cão quanto a reações adversas após a administração de metocarbamol, principalmente no início da medicação ou na alteração da dose.

Fatores de risco associados ao metocarbamol para cães

Ao prescrever metocarbamol para cães, leve em consideração o seguinte: 

  • disfunção hepática
  • Insuficiência renal
  • Distúrbios neurológicos pré-existentes
  • Uso concomitante de depressores do SNC ou medicamentos anticolinérgicos
  • Hipersensibilidade ao metocarbamol
  • Uso prolongado do medicamento e seus efeitos nas enzimas hepáticas

O que devo fazer se perder uma dose? 

Nos casos de esquecimento de dose de metocarbamol em caninos, deve-se abordar com cautela para manter a eficácia e segurança terapêutica. Avalie o intervalo desde a dose esquecida; administrar imediatamente se for menor. Se for proximal à dose subsequente, omitir a dose esquecida, evitando duplicação para prevenir efeitos adversos. Retome o regime prescrito depois disso. 

Consulte um veterinário para lapsos frequentes ou incertezas de dosagem. A monitorização da administração pós-dose é aconselhada para respostas atípicas. Implemente lembretes para melhorar a conformidade. A adesão consistente ao esquema de dosagem prescrito pelo veterinário é fundamental para resultados terapêuticos ideais. 

O que fazer em caso de overdose de metocarbamol em cães

Na toxicidade canina do metocarbamol, a identificação imediata dos sintomas (depressão do SNC, comprometimento respiratório, desconforto gastrointestinal, anomalias cardíacas, manifestações neurológicas), a descontinuação imediata do medicamento e cuidados veterinários urgentes são essenciais. 

A adesão às dosagens prescritas e consultas veterinárias regulares evitam tais incidentes. 

Você pode dar um relaxante muscular a um cachorro?

A administração de um relaxante muscular adicional juntamente com o metocarbamol em cães requer cautela devido às potenciais interações farmacodinâmicas e ao aumento da depressão do sistema nervoso central. O uso simultâneo pode aumentar o risco de efeitos adversos como sedação e depressão respiratória.

Os cães podem tomar metocarbamol e gabapentina juntos?

A administração concomitante de metocarbamol e gabapentina em caninos pode levar ao aumento da depressão do SNC devido a interações farmacocinéticas e farmacodinâmicas, necessitando de dosagem ajustada e monitorização vigilante, especialmente na insuficiência renal. 

Metocarbamol versus gabapentina apresenta uma escolha crucial para veterinários no tratamento da dor: o metocarbamol é excelente no tratamento de espasmos musculares, enquanto a gabapentina tem como alvo a dor neuropática e convulsões. A ação única de cada medicamento determina sua aplicação em diferentes cenários veterinários.

O metocarbamol é seguro para cães?

O metocarbamol é geralmente considerado seguro para cães quando prescrito por um veterinário. Seu principal uso é como relaxante muscular para distúrbios musculoesqueléticos e lesões da medula espinhal. Você deve monitorar cuidadosamente a dosagem e a duração para mitigar possíveis efeitos colaterais, como sedação ou distúrbios gastrointestinais.

Cachorro feliz brincando

O metocarbamol é o mesmo para cães e humanos?

O metocarbamol é eficaz em cães e humanos, mas as formulações, dosagens e indicações diferem significativamente. Os comprimidos de metocarbamol humano podem conter excipientes potencialmente prejudiciais aos cães. 

A orientação veterinária é crucial para garantir uma dosagem segura e apropriada e para evitar reações adversas relacionadas a diferenças farmacocinéticas e farmacodinâmicas interespécies.

Recapitular

O metocarbamol, um relaxante muscular, é usado em cães principalmente para tratar espasmos musculares, inflamação e dor associada a distúrbios musculoesqueléticos e lesões na medula espinhal. Os veterinários prescrevem, adaptando a dosagem às necessidades específicas do cão. 

Embora geralmente seguro, pode causar efeitos colaterais como sedação ou problemas gastrointestinais. Seria melhor evitar formulações humanas devido a aditivos potencialmente prejudiciais.

O compartilhamento é cuidar!

AUTOR

Projeto dedicado a apoiar e ajudar a melhorar a Medicina Veterinária. Compartilhando informações e levantando discussões na comunidade veterinária.

Recomendado

pediátrico para cães

Pedialyte para cães: 2024 atualizado

8 min read

Subscreva a nossa newsletter

Deixe seu e-mail abaixo para fazer parte do time I Love Veterinary e desfrutar de novidades regulares, atualizações, conteúdo exclusivo, novidades e muito mais!