Quanto tempo um cachorro consegue ficar sem fazer cocô?

Foto do autor
Publicado em

O blog I Love Veterinary é suportado pelo leitor e podemos ganhar uma comissão de produtos comprados por meio de links nesta página, sem nenhum custo adicional para você. Saiba mais sobre nós e nosso processo de análise de produtos >

Vamos falar sobre cocô! É mais comum falar em diarreia em cães. No entanto, também pode acontecer que o seu cão não defece.

Você sabe quanto tempo um cachorro consegue ficar sem fazer cocô? Abordaremos esse assunto e explicaremos as situações com as quais você não deve se preocupar e quando não poderá mais evitar consultar um veterinário.

Quantas vezes um cachorro deve fazer cocô?

Uma preocupação comum dos donos de animais de estimação é quantas vezes por dia um cachorro deve fazer cocô? É uma dúvida frequente em hospitais veterinários. Os cães geralmente defecam uma ou duas vezes, até três vezes ao dia.

A frequência com que um cão defeca varia dependendo de vários fatores, como dieta, nível de atividade, metabolismo, raça e idade.

Dieta

Alguns cães fazem cocô após as refeições, correlacionando-se com seu horário de alimentação. Se alimentados duas vezes ao dia, eles podem fazer cocô duas vezes. Da mesma forma, a alimentação uma vez ao dia geralmente resulta em um cocô diário. A redução da alimentação pode levar à diminuição do cocô. Ajustar a frequência de alimentação pode alterar os padrões de fezes [1].

Alimentos de qualidade afetam a frequência dos movimentos intestinais. Alimentos de alta qualidade são ricos em nutrientes, exigindo menos consumo e resultando em menos fezes. Por outro lado, subprodutos e alimentos ricos em farinha deixam mais resíduos não digeridos, aumentando a frequência de cocô. Dietas ricas em fibras também promovem evacuações mais frequentes [2].

Atividade física

O exercício regular estimula os movimentos intestinais e apoia uma digestão saudável. Um estilo de vida sedentário pode causar prisão de ventre e evacuações lentas.

Raças e Metabolismo

O metabolismo e os movimentos intestinais de raças pequenas, como Chihuahuas, Yorkshires e Dachshunds, são mais rápidos do que raças grandes e gigantes. Portanto, eles defecam com mais frequência do que raças como Dogue Alemão, São Bernardo e Rottweiler.

Diagrama do metabolismo canino

Filhotes vs. Adultos

Devido ao seu metabolismo e atividade mais elevados, os filhotes defecam com mais frequência do que os adultos. A maioria dos filhotes precisa fazer cocô uma hora depois de comer, então este é o momento perfeito para levá-los para fora.

Consistência das fezes

A consistência de um fezes de cachorro também é um importante indicador de sua saúde. As fezes normais devem ser firmes, úmidas e fáceis de coletar. Fezes moles ou aquosas podem significar problemas digestivos ou outros problemas de saúde subjacentes. 

Quanto tempo um cachorro pode ficar sem fazer cocô?

É um desafio identificar uma resposta exata. Os cães variam naturalmente na frequência das fezes.

Os proprietários devem compreender os hábitos habituais dos seus cães. Se um cão normalmente defeca três vezes ao dia, um dia sem evacuações é incomum. Por outro lado, se um cão mais velho e de raça grande defecar apenas uma vez ao dia, quatro evacuações seriam atípicas.

Prestar atenção ao desconforto durante a defecação é crucial. Embora a frequência da evacuação possa variar, dor ou dificuldade, juntamente com fezes aquosas ou com sangue, sinalizam problemas.

Conhecer a linha de base do seu cão ajuda a detectar alterações como prisão de ventre ou diarreia canina.

Embora cada cão seja diferente, se um cão ultrapassar dois dias sem evacuar, isso pode sinalizar prisão de ventre. Constipação em cães, caracterizada por dificuldade para evacuar ou evacuações infrequentes, pode evoluir para sérios problemas de saúde se não for tratada imediatamente.

O que é um intervalo normal entre cocôs?

Para filhotes que precisam de refeições frequentes, espere fazer cocô a cada 6-8 horas. Cães adultos normalmente fazem cocô a cada 12-24 horas à medida que seu metabolismo fica mais lento.

Cães jovens e ativos ou aqueles que seguem dietas ricas em fibras podem fazer cocô com mais frequência. A maioria dos adultos faz cocô diariamente.

O que acontece se meu cachorro não faz cocô há dois dias, sente desconforto, não come a comida ou até vomita? Nestes casos, ir ao veterinário e pedir ajuda é importante.

14 causas comuns de um cachorro não fazer cocô

Ao se perguntar quanto tempo um cachorro consegue ficar sem fazer cocô, é fundamental considerar os fatores que causam esse atraso. Os mais importantes são:

Prisão de ventre

Um cão constipado não consegue defecar porque as fezes são duras e secas. O cocô se acumula no cólon e a expulsão é muito difícil.

Quando um cachorro não consegue fazer cocô, pensamos imediatamente em prisão de ventre. Ainda assim, listaremos abaixo outras causas comuns que podem fazer com que seu filhote não consiga fazer cocô.

Raio X de um cachorro constipado
Radiografia de um cão constipado enviada por Sonia Beltran MVZ

Desidratação

A principal função do cólon é absorver água e eletrólitos das fezes. Desidratação em cães ocorre quando o animal perde mais líquidos do que ingere. Em um cão desidratado, a absorção de líquidos do cólon será maior para recuperar o máximo de água possível. Como resultado, terá dificuldade em excretar o cocô seco.

Objetos Estrangeiros

Na medicina veterinária, corpo estranho é qualquer objeto que o cão consegue engolir e não consegue digerir. Exemplos de corpos estranhos são ossos, brinquedos, plásticos, etc. 

Um cão que engole um corpo estranho está com sérios problemas e requer atenção médica de emergência. Corpos estranhos ficam presos em algum lugar do trato digestivo, obstruindo-o. Os movimentos intestinais param e o conteúdo intestinal não consegue mais avançar.

Fibra insuficiente

A fibra é um componente dos alimentos que atrai água no intestino. Como resultado, a fibra aumenta o volume das fezes, suaviza-as e acelera o trânsito intestinal. A falta de fibras dificulta a passagem dos alimentos pelo trato digestivo.

Excesso de Fibra

A fibra é importante para a saúde digestiva dos cães, mas pode ser contraproducente se a dieta do cão contiver muita fibra. Como a fibra insolúvel atrai água para o intestino, grandes quantidades de fibra produzirão grandes quantidades de cocô que são difíceis de eliminar. Eles também causarão distensão abdominal, desconforto, fermentação excessiva e gases.

Glândulas anais anormais

A glândulas anais, situados em cada lado do ânus de um cão, produzem um fluido fedorento que auxilia na passagem fecal. Obstruções, infecções, abscessos ou tumores nessas glândulas causam dor, dificultando a evacuação. Alimentando comida de cachorro rica em fibras pode aliviar esse problema.

Tumores

Massas localizadas no ânus ou em algum lugar ao longo do trato intestinal podem obstruir ou dificultar a evacuação.

Imagem de um tumor dentro do intestino delgado de um cão durante uma cirurgia

Pele Emaranhada

Cães com pelagem encaracolada podem ter problemas para defecar se seus pelos se acumularem na área do ânus. É um problema comum em Poodles com pelos longos na região genital.

Problemas de próstata

Cães machos não esterilizados com inflamação ou deformidades da próstata podem ter problemas para defecar devido à localização anatômica desta glândula. A próstata fica abaixo do reto. Quando a próstata aumenta, ela pode pressionar o reto e dificultar a evacuação.

Questões endócrinas

Algumas doenças endócrinas, como hipotireoidismo canino e diabetes, pode causar dificuldade para fazer cocô como sintoma secundário. No hipotireoidismo, o metabolismo (velocidade) do corpo e os movimentos intestinais ficam mais lentos. No caso de diabetes canina, a desidratação secundária é a causa da dificuldade de evacuar.

Falência renal

Os rins danificados não conseguem reter água, levando à desidratação.

Diarréia

Por que meu cachorro não está fazendo cocô? Isso é comum após a diarreia e os proprietários podem medicar em excesso para controlá-la.

É normal que os cães não façam cocô um a três dias após a diarréia, à medida que o trato gastrointestinal limpa. A comida leva dias para viajar do estômago ao reto

Cirurgia recente

Não se preocupe se, após a cirurgia, seu cão não fizer cocô nos horários habituais. Vários motivos farão com que seu cão demore um pouco para regularizar seu horário de defecação:

  • Eles evitarão se mover por causa da dor.
  • Retardação dos movimentos intestinais devido à menor atividade física.
  • Alguns medicamentos anestésicos e analgésicos têm o efeito colateral de retardar os movimentos do trato digestivo.
  • Usar colar elisabetano, bandagens ou curativos pós-cirúrgicos pode gerar desconforto inicial.

Falta de exercício

A atividade física regular estimula os movimentos intestinais e ajuda a prevenir a constipação.

Dieta incorreta

Dietas ricas em gordura e sem fibras podem retardar o movimento intestinal. Mudanças bruscas na dieta do cão podem alterar o equilíbrio da flora intestinal e causar prisão de ventre.

Deformidade da região pélvica devido a fraturas mal resolvidas

Quando a anatomia óssea do quadril não é mais normal, pode comprometer o trânsito intestinal, dificultando a evacuação.

Riscos à saúde associados a movimentos intestinais irregulares

Compreender quanto tempo um cão pode passar sem fazer cocô é crucial devido às graves implicações para a saúde que se seguem à inatividade. A omissão de ação pode levar a consequências fatais.

Os riscos para a saúde decorrentes de evacuações irregulares em cães incluem:

  • Dor e desconforto: Desconforto abdominal, inflamação, perda de apetite, vômitos, dificuldade para defecar, choro durante as evacuações e presença de sangue ou muco nas fezes duras e secas.
  • Impactação fecal: Acúmulo de fezes duras e secas no reto levando à obstrução intestinal [3].
  • Megacólon: Aumento anormal grave do cólon causado pelo acúmulo fecal.
  • Intoxicação: Absorção de toxinas do intestino devido à incapacidade de defecar, levando a problemas de saúde.

O que fazer se seu cachorro não estiver fazendo cocô

Não existe nenhuma fórmula mágica para fazer um cachorro constipado fazer cocô rapidamente. Identifique a causa e evite a recorrência. A constipação não tratada pode prejudicar a saúde.

Vamos aprender como ajudar um cachorrinho a não fazer cocô.

Dieta

Você pode complementar a dieta do seu cão adicionando fibras para regularizar a digestão e promover a defecação. Você pode usar fórmulas comerciais de ração com mais fibras ou adicionar vegetais e frutas à dieta do seu animal de estimação.

Outra excelente opção é adicionar ração úmida para cachorro à dieta, pois fornecerá mais umidade.

RX aprovado pelo veterinário – Vetasyl Fiber Caps 100 Count

Vetasyl Fiber Caps 100 Contagens

Exercício

O exercício estimula os músculos do trato gastrointestinal, que ajudam a movimentar os alimentos através do sistema digestivo. Além disso, a atividade física aumenta o fluxo sanguíneo para o intestino, facilitando a digestão e promovendo movimentos intestinais regulares.

Assim, é importante proporcionar ao seu cão oportunidades diárias de exercícios, como cachorro passeia, jogos ou brinquedos interativos que estimulam o movimento.

Abóbora Enlatada

Um dos tratamentos caseiros mais fáceis e comuns para a constipação em cães é dar-lhes abóboras enlatadas. A abóbora é um alimento rico em fibras e seguro para cães. A dosagem é de 1 colher de sopa por dia para raças pequenas e 3 colheres de sopa para cães grandes. Você pode misturá-lo com comida ou dar como guloseima.

Pó de abóbora Artullano para cães - alto teor de fibras, fezes saudáveis ​​e melhora a qualidade e firmeza das fezes - suporte digestivo
  • Veterinário Formulado
  • Ótimo sabor
  • Apoio Digestivo
  • Fabricado em instalações registradas pela FDA
  • Para todas as raças e tamanhos

Água

Aumentar a quantidade de água que o cão bebe é importante ao adicionar fibras à dieta. A fibra atrai líquido extra para as fezes para amolecê-las. Se não houver água disponível, o aumento de fibras pode piorar a constipação.

Você pode colocar vários fontes de água para cães em diferentes partes da casa. Outra opção é oferecer caldo de galinha para beber ou adicionar água à ração úmida do seu cão.

Venda
Caldo de osso de carne bovina nativa para cães (4.75 onças) e abóbora orgânica para cães (8 onças)
3 Avaliações
Caldo de osso de carne bovina nativa para cães (4.75 onças) e abóbora orgânica para cães (8 onças)
  • PREVENIR E ALIVIAR A DIARRÉIA DO CÃO: Nosso suplemento de fibra de abóbora para cães foi desenvolvido por um nutricionista veterinário líder para garantir doses eficazes de fibra para ajudar (não prejudicar!) o processo de digestão. Uma opção melhor do que remédios caros ou ineficazes para diarréia canina!
  • 3 INGREDIENTES ORGÂNICOS E FEITOS NA AMÉRICA DO NORTE: Nossa receita usa apenas abóbora orgânica, sementes de abóbora e maçã em pó para criar um suplemento rico em fibras para cães que fornece suporte e alívio digestivo totalmente natural.

Check-ups veterinários regulares

Agendamento exames veterinários regulares e os cuidados preventivos são essenciais para monitorar a saúde do seu cão e identificar quaisquer condições médicas subjacentes que afetem os movimentos intestinais. Seu veterinário pode recomendar uma dieta adequada às necessidades do seu cão e prescrever quaisquer tratamentos ou intervenções necessárias.

Fezes amaciante

Em alguns casos, pode ser necessário adicionar um amaciante de fezes ou um suplemento dietético recomendado pelo seu veterinário se o seu cão passar longos períodos sem fazer cocô ou se tiver fezes duras. 

Esses suplementos aumentam o teor de umidade das fezes, facilitando sua passagem. Azeite e psyllium são alguns exemplos de amaciantes naturais de fezes.

Petco - NaturVet Stool Ease Amaciante de fezes para cães mastigações macias, pacote de 40 mastigações

NaturVet Stool Ease Amaciante de fezes para cães mastigações macias, pacote de 40 mastigações
Quanto tempo um cachorro consegue ficar sem fazer cocô? I Love Veterinary - Blog para veterinários, técnicos veterinários, estudantes

Enema

Se o seu cão não responder a esses tratamentos, pode ser necessário levá-lo ao veterinário para fazer um enema. Nunca faça um enema em seu cão sem a supervisão de um profissional.

Quando entrar em contato com o veterinário

Se o seu cão não faz cocô há mais de dois dias, consulte um veterinário. Mesmo que pareçam bem, é aconselhável procurar aconselhamento. Atenção imediata pode ser necessária para problemas sérios.

Conclusão

Em resumo, os cães podem ocasionalmente passar alguns dias sem fazer cocô, mas períodos prolongados podem causar complicações.

É crucial explorar os riscos de longos períodos sem evacuações para compreender as implicações e preocupações.

Compreender esta dinâmica é vital para o bem-estar e a saúde digestiva dos nossos companheiros caninos.

Quanto tempo é muito tempo para um cachorro não fazer cocô?

Como regra geral, mais de 72 horas sem fazer cocô é muito tempo.

O que acontece se um cachorro segura o cocô por muito tempo?

Se um cão não fizer cocô por vários dias, ele pode apresentar complicações de saúde que vão desde dor, desconforto e desidratação até obstrução intestinal, megacólon e intoxicação.

Quanto tempo um cachorro consegue segurar os intestinos?

O tempo que um cachorro consegue fazer cocô sem motivo de preocupação é de aproximadamente 48 horas. Esse período varia de acordo com a idade, raça, dieta e saúde geral do cão.

Como você pode saber se um cachorro está bloqueado?

O sintoma mais característico de obstrução intestinal em cães está vomitando com cheiro de cocô. Se a obstrução intestinal for total, o cão não consegue defecar. 

Se a obstrução for parcial, parte do conteúdo intestinal continua a passar e o cão geralmente apresenta diarreia. Há também dor abdominal, fraqueza, anorexia e desidratação.

Quanto tempo depois que um cachorro come ele faz cocô?

Um cão geralmente defeca oito a 12 horas depois de comer.

O compartilhamento é cuidar!

Foto do autor

AUTOR

Diana é fundadora de duas empresas prósperas, a Maskoketos no México, especializada no atendimento médico de cães e gatos, e a Faunavets na Argentina, dedicada ao bem-estar de animais não tradicionais. Sua experiência vai muito além do domínio dos animais de estimação domésticos, abrangendo uma grande variedade de criaturas, desde os menores coelhos até os majestosos elefantes. A paixão de Diana pela vida marinha a levou a trabalhar com golfinhos, peixes-boi, tubarões e raias manta no México. O seu compromisso e entusiasmo pelo bem-estar dos animais estão no centro do seu trabalho, e ela está dedicada a melhorar o bem-estar animal de todas as formas possíveis.